Beber e dirigir é ilegal, imoral e “fora de moda”!

05/03/19

Flavio Pinheiro Neto - OAB/SC 14.698



Neste artigo intitulado "Beber e dirigir é ilegal, imoral e “fora de moda”!" o conselheiro estadual da Seccional, Flávio Pinheiro Neto, escreve sobre um tema preocupante e sempre atual. O alcoolismo misturado à direção. O texto vai ao encontro da Campanha de Carnaval da OAB/SC "Carnaval com respeito e sem preconceito", lançada antes dos festejos populares no país, mas que requerem atenção e responsabilidade. Confira:

Beber e dirigir é ilegal, imoral e “fora de moda”!

A ideia é falar de comportamento, sociedade e experiências pessoais. Não sou um exemplo e muito menos um missionário, por isso tranquilizo a todos de antemão: escreverei sem moralismo! Há hipocrisia suficiente nos noticiários. Aqui vou dividir vivências verdadeiras com amplo espaço para trocas e críticas. Justamente por isso, introduzo o tema de estreia com uma confissão que não é surpresa para ninguém: já bebi e dirigi. Inúmeras noites acreditei no mito do super-homem e encarei o volante em estado de consciência alterado. Nos meus vinte e poucos anos era normal agir assim. Sentíamo-nos infalíveis mesmo quando estatísticas apontavam o oposto. Felizmente progredi! Progredimos!

Com o cigarro temos outra evolução. Há pouco tempo fumar era sinal de status, sinônimo de maturidade e independência. Atualmente, fumar está cada vez mais fora de moda. A sociedade melhorou, mas não evoluímos tanto assim.

Apesar da Lei Seca ter sido sancionada há quase uma década, o alto índice de mortes e feridos no trânsito comprova que beber e dirigir ainda é uma prática. No Brasil a situação piora, pois a força da lei não é suficiente. O processo de transformação no comportamento das pessoas é muito mais lento que a legislação.

O revoltante é que a mesma pessoa que aqui no desrespeita a lei, acreditando na impunidade, cumpre ipsis litteris quando está na Europa, nos Estados Unidos e em outros locais nos quais as autoridades fiscalizam e punem severamente tal infração.

É correto afirmar que beber e dirigir é um absurdo, não só pela grave consequência de colocar a própria vida e a de terceiros em risco, mas também porque é uma atitude facilmente evitada. Ingerir álcool é um ato previsível, deveria ser imediatamente associado à utilização de serviços de aplicativos, táxi ou carona.

Envergonhar os infratores foi a política adotada pelo jornal Mountain Scene da Nova Zelândia. Uma polêmica edição apresentou na capa os nomes de 100 pessoas condenadas por condução de veículos sob efeito de álcool no primeiro semestre do ano. Medida exagerada ou sensata?! Difícil julgar, mas um grande número de leitores elogiou o jornal.

Não há desculpa para alguém encarar o volante embriagado. O clássico “foi só uma dose” beira a ignorância. Está comprovado que álcool, mesmo em quantidades pequenas, altera funções fundamentais do motorista. Deterioração da visão, comprometimento dos reflexos e diminuição da capacidade de discernimento são algumas delas.

Quando estiver dirigindo, não ingira bebida alcoólica. Não seja influenciado por discursos de que “é apenas uma cervejinha”. Seja o exemplo para sua família e amigos. Só assim diminuiremos os altos índices de acidentes. Beber e dirigir é inconcebível, ilegal e em época de Uber e motorista da rodada, é também “fora de moda”!!!